Fibromialgia: saiba quais são os sintomas e como tratar

A fibromialgia é uma síndrome clínica manifestada por meio de fortes dores crônicas em todo o corpo, especialmente na musculatura e nos tendões. É considerada uma síndrome porque representa um grupo de sintomas sem que seja identificado um motivo exclusivo – e a localização da dor no corpo pode mudar de um dia para o outro.

Um paciente com fibromialgia tem muito mais sensibilidade à dor do que quem não tem a doença, devido ao funcionamento de seu cérebro. Ou seja, qualquer estímulo doloroso ativará todo o sistema nervoso e, por causa disso, o fibromiálgico sente muito mais dor do que o esperado.

Não é à toa que quem tem a doença apresenta grande dificuldade em sua vida particular e profissional. Como conviver bem socialmente sentindo dores tão insuportáveis? O sono é prejudicado e o humor é afetado, o que resulta no aumento do estresse – um dos gatilhos para a dor, tornando o ciclo infinito.

No trabalho, o problema é ainda maior. A fibromialgia leva o trabalhador a ter vários dias de ausência e afastamento ou mesmo à impossibilidade de permanecer no trabalho, e consequentemente resulta na dificuldade de se inserir novamente no mercado de trabalho devido à doença.

“Hoje, em casos mais extremos, o trabalhador com fibormialgia pode se afastar das funções pelo INSS. O sindicato está à disposição para orientar a categoria nesse processo. Antes de mais nada, o primeiro passo é procurar o STIP e trazer seu caso”, explica o presidente da entidade, Gilmar Servidoni.

Tratamento

Quem tem fibromialgia (e ainda não sabe que tem) costuma procurar um reumatologista, por se tratar de dores nas articulações. Mas a questão é que a síndrome pertence às áreas da psiquiatria e da neurologia, sendo o tratamento mais eficaz com medicamentos da classe dos antidepressivos e neuromoduladores do que com analgésicos e anti-inflamatórios.

É importante, além do uso das medicações, a intervenção psicoterapêutica com um psicólogo, que auxiliará no enfrentamento da doença e ajudará o paciente a buscar por qualidade de vida apesar da fibromialgia.

Outro fator imprescindível é a prática de atividades físicas. Na verdade, o tratamento com medicação e psicoterapia tem o intuito de aumentar a disposição do fibromiáltico para que ele possa realizar exercícios.

A atividade física proporciona um relaxamento nos locais afetados pela dor, melhorando os sintomas e fazendo com que quem tem fibromialgia recupere a vontade de viver.

Fonte: STIP